Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Cenário – Estúdio fotográfico

Inútil – Boa tarde.
Funcionária – Boa tarde. É para pôr a revelar?
Inútil – Sim, sim. Estão prontos daqui a quanto tempo?
Funcionária – Mais ou menos uma hora.
Inútil – Ok, então até já.

Inútil – Boa tarde outra vez!
Funcionária – (cabisbaixa para a dona) É este o senhor…
Dona – Tenho que ter uma conversa séria consigo.
Inútil – Então?
Dona – As fotografias que tinha nos rolos eram importantes?
Inútil – Importantíssimas! Espere lá… Como assim, eram?
Dona – Pois… a minha colega não viu que os rolos eram a preto e branco e meteu-os na máquina.
Inútil – Mas isso não dá cabo dos rolos?
Dona – Pois, e deu mesmo.
Inútil – (Silêncio – de boca aberta em estado de choque). Não dá para aproveitar nada?
Dona – Não. Os negativos ficaram destruídos, as imagens foram apagadas.
Inútil – (sentindo solidariedade para com os maluquinhos americanos que entram nos centros comerciais a disparar rajadas de metralhadora) …
Dona – Tem hipótese de voltar a fotografar a mesma coisa?
Inútil – Não. Não eram 72 fotografias de laranjas ou latas de atum. Eram 72 fotografias de situações únicas, impossíveis de recriar.
Dona – Pois…
Inútil – (Com vontade de estrangular a funcionária com os negativos queimados) Pois…
Dona – Lamento imenso. Precisa de alguma nota justificativa da nossa parte?
Inútil – Não, de vocês só queria mesmo as fotografias.
Dona – Lamento imenso, não sei o que lhe dizer.
Inútil – Então já somos dois.
Dona – Posso-lhe oferecer dois rolos para compensar os perdidos?
Inútil – Pode. Eram T-Max 400 da Kodak.
Dona – Ahh… desses não temos.
Inútil – Então afinal não pode.
Dona – Lamento mesmo imenso.
Inútil – Também eu. Mas se já está, já está. Paciência. Errar é humano.
Dona – Pois… olhe, de futuro sempre que cá vier, entregue-me as suas fotografias e elas serão reveladas sem custos.
Inútil – Hmm… é melhor não, senão a história repete-se e ainda arranjamos aqui um ciclo vicioso.
Dona – Pois… lamento mesmo imenso.
Inútil – Não tanto como eu.


Moral da história: se tiverem amigos, primos, colegas, vizinhos ou desconhecidos que tenham rolos para revelar, entreguem-nos a mim, que eu vou cobrar a promessa à senhora.

Levar aquela loja à falência vai ser a minha nova missão de vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:13


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Sobre o Inútil

foto do autor


Onde é que anda aquilo?

  Pesquisar no Blog





Comentários recentes

  • Anónimo

    Pelo seu artigo logo se vê que o amigo não conhece...

  • Goretti Nunes

    Olá,Estou neste momento a elaborar a minha dissert...

  • Anónimo

    Pessoal a culpa nao e dele....a culpa e da mae que...

  • Anónimo

    Vai la e experimenta

  • ana maria

    Experimentei o frizante Castiço na cidade de Coimb...