Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Uma questão de inquietações

por Inútil, em 06.03.08

Mais uma vez promovendo funções de serviço público, vou-me predispor a resolver algumas das inquietações que trazem clientela aqui ao estaminé.

São muitas, umas mais profundas, outras mais concretas, mais ou menos cientificas .

Fiz, por isso, um apanhado daquelas que me parecem carecer de mais urgência na resposta.

Posto isso, mãos à obra:

 

Comecemos pela primeira. Ora bem, meu amigo, depende do contexto. Se estiver a falar da vida no Serengeti, a utilidade dos leões passa muito por ajudar a balançar a fauna, controlando a quantidade de gnus e gazelas que por lá andam. Por outro lado, se estiver a falar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, acho que ninguém lhe saberá responder. Neste momento, a grande utilidade deles é capaz de ser dar pontos aos mais pequenitos e fazer rir os adeptos de outros clubes.

 

À amiga que se esqueceu de tomar a pílula outra vez, bem... não há muito a fazer, pois não?

Talvez seja melhor começar a pensar na cor do berço ou a consultar agências de adopção.

Veja as coisas pelo lado positivo: depois desta lição, verá que para a próxima não se esquece tão facilmente!

 

Ao companheiro que cá vem à procura das frases para motivar equipas. Não conheço nenhuma, lamento. Talvez só "é bom que comecem a jogar como deve ser ou atiço-vos o Makukula todo nu". Mas não sei até que ponto será motivadora. Em todo o caso, se encontrar alguma, não seja egoísta. Entre em contacto com estes cavalheiros e partilhe a sua descoberta. Eles bem precisam.

 

Acho que a sua lealdade é notável. Há um gajo qualquer que lhe desentope os canos à bruta e você continua a chamar-lhe amigo. É bonito. Mas talvez seja tempo de aumentar essa auto-estima, rapaz! Senão, se esse mesmo gajo lhe matar a Mãe, ainda o leva a jantar fora.

 

Esse é fácil. Vá ao arquivo de jogos do Benfica e procure por "SLB Nuno Gomes". Vai ver que encontra alguma coisa.

 

Pode começar por aprender a escrever como deve ser. Vai ver que as tristezas ganham outra cor quando desabafadas em correcto português.

 

Dar cabo do dinheiro aos pais?

 

É de louvar ter um objectivo a alcançar na vida. Mas talvez esse não seja o melhor. Lamentavelmente, a sociedade continua a não ver com bons olhos o acto de dar uma paulada na cabeça desses terroristas de bigodes. Que tal passar para animaizinhos mais pequenos? Pombos, por exemplo?

 

É pena que os historiadores dos nossos dias não manifestem preocupação com questões tão pertinentes como essa. Em vez de se preocuparem com regicídios , descobertas e afins, que tal desenvolver teorias sobre o papel do penico na sociedade medieval? É uma lacuna que há muito pede para ser preenchida.

Em todo o caso, acredito que a utilidade de tal utensílio não tenha mudado muito de há uns séculos para cá. Talvez tenha surgido como chapéu ou capacete de combate, não sei. Ou receptáculo para azeitonas. Não sei mesmo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:27


Uma questão de teimosia

por Inútil, em 06.03.08

Tenho uma amiga que gere um bar. Aqui há uns meses, deixei a minha marca numa daquelas maquinetas que se joga num ecrã táctil. O primeiro lugar no top score do Trivial Pursuit.

Desde então, ela elegeu como missão de vida suplantar a minha pontuação.

Primeiro, tentou sozinha. Depois, levou a irmã. A seguir, levaram uma amiga. Ainda tentaram com a ajuda de mais duas miúdas mas sempre sem sucesso.

Chegou ao ponto de nas dez melhores pontuações, nove serem delas. Infelizmente para elas, todas abaixo da minha.

A verdade é que da teimosia à obsessão só vai um pequeno passo.

Em determinado ponto da vida, todos nos sentimos obstinados a conseguir algo. Por vezes, alguém. Desperta em nós uma fome insaciável para atingir o objecto da nossa procura e desejo.

Enquanto que um teimoso só o persegue até ao limite do razoável, o obcecado nunca perde a fé no impossível.

Gosto de pessoas teimosas. Talvez por não considerar a teimosia um grande defeito. A teimosia é coerência levada ao extremo. É defender uma ideia própria de forma tenaz, sem vacilar perante pressões externas.

O obcecado, ao contrário do teimoso, tem propósitos irreais. Fica de tal forma consumido pela necessidade de atingir o seu objectivo que torna essa procura em cegueira. E essa cegueira dá-lhe felicidade, dá-lhe sentido.

O teimoso de tempos a tempos ainda vai tendo umas alegrias.

O obcecado depressa se habitua à desilusão.

Mais ou menos como eu e a crença anual que o Benfica vai voltar a ser campeão.

Ou como a minha amiga, que ainda acha que me vai conseguir depor do trono.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:29


Manifesto

por Inútil, em 05.03.08
Detesto conduzir em hora de ponta.
Por tua causa, meu badameco de Mercedes, espécie de quarentão frustrado, nessa crise de meia-idade que te leva a deixar crescer bigode para compensar a falta de cabelo que tens, que só por conduzires um carro jeitoso te julgas o Zeus do asfalto e alarvemente te atravessas à minha frente sem a pôrra de um pisca sequer.
Só me apetecia meter o símbolo dessa bosta em brasa e deixar-te a marca da estrelinha marcada na testa, como se faz ao gado.
Só porque detesto conduzir em hora de ponta.
Por tua causa, puto parvo, mais essa mania que és o Mr. Magoo, que apesar de estar uma noite límpida vens com a porcaria das luzes de nevoeiro ligadas, como se andasses a caçar veados no meio da serra, meu pitosga sobre rodas, encadeando os desgraçados que têm o azar de ir à tua frente na estrada.
Só me apetecia enfiar-te um holofote como o do Batman pela goela abaixo até te saírem raios de luz da peida.
É que detesto mesmo conduzir em hora de ponta.
Por tua causa, seu azeiteiro histérico, que conduzes com uma das mãos soldada à puta da buzina, espécie de aspirante a padeiro de bairro, anunciando a sua chegada como se fosses um cavaleiro do apocalipse, que fazes soar essa merda como se ganhasses à comissão por cada buzinadela que dás, lixando o juízo aos infelizes que têm de te ouvir.
Só me apetecia meter-te a cabeça no meio de duas buzinas de farol e fazê-las soar como se não houvesse amanhã.
Porquê? Porque detesto conduzir em hora de ponta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:56


Uma questão de imaturidade V

por Inútil, em 04.03.08

Ele - Olá! Estava complicado! Vinte minutos de atraso não é normal... Foste raptada por Ovnis ou coisa parecida?

Ela - Oi! Desculpa lá, fui às compras hoje à tarde e acabei por me distrair com as horas.

Ele - Já se estava mesmo a ver. E porque é que não foste mais cedo?

Ela - Não, não! Eu até fui cedinho. Estive foi às compras durante quatro horas.

Ele - Quatro horas?? Mas tu não és normal! Em quatro horas não só ia às compras como ainda conseguia ver O Padrinho.

Ela - Não percebes nada da dinâmica feminina das compras.

Ele - Sim, é um facto.

Ela - E além disso, se temos tanto aprumo com isto, em parte isso é por vossa causa.

Ele - Perdão?

Ela - Não gostas de ver uma mulher bem arranjada?

Ele - Epá .. gosto. Um ar deslavado não é assim tão agradável à vista como isso..

Ela - Lá está. Conseguir esse aparato visual que tanto vos agrada requer trabalho, coisas que não se arranjam do pé para a mão. Daí as maratonas de aquisições têxteis.

Ele - Está bem... mas quatro horas? Pôrra.

Ela - Só para comprar estes sapatos foram trinta minutos.

Ele - Bom, mas a parte dos sapatos, no teu caso, até se compreende. Tu és o Bigfoot, com esse 41 biqueira larga. Isso não deve ser exactamente fácil de encontrar.

Ela - Porquê?

Ele - Porque isso não é um sapato, é um barco rebocador. Devias precisar de uma licença de condução especial para usar esses tamancos.

Ela - Pôrra , tu calças o 43!

Ele - 'Tá bem, mas eu sou macho. Temos mais aptidão a ter o chispe largo enquanto vocês tendem a ter pézinhos de Cinderela.

Ela - Há sempre excepções à regra.

Ele - Claro! Epá, o que eu acho é que vocês, pézudas, se deviam unir todas e formar um grupo de apoio. As P.A.'s.

Ela - P.A.'s?

Ele - Patudas Anónimas. Juntavam-se aí num centro paroquial qualquer, metiam umas cadeirinhas em círculo e apresentavam-se à vez: Olá, eu sou a não-sei-das-quantas, tenho 24 anos e há cinco que calço o 41. Tenho vivido em negação mas finalmente decidi sair do armário e gritar a plenos pulmões, "Sou uma patuda!!!".

Ela - Patuda??

Ele - Pois, pá! E também podiam ter patrocinadores, como nos AA. Ias às compras, dava-te um momento de fraqueza e imediatamente ligavas à tua patrocinadora. " Tou, Luísinha ? Vacilei, Luísinha, vacilei! Estive com uns 39 na mão e quase que os comprava". Diz lá que não era uma boa ideia.

Ela - Não era uma boa ideia.

Ele - É triste, essa falta de coerência.

Ela - Como assim?

Ele - Não é óbvio? Apesar de teres o pé grande, tens as vistas curtas!

Ela - Desisto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:57


Ode à actividade política

por Inútil, em 03.03.08

Esta é a história

de uma jovem chamada Maria

apesar de gostar de política

era burra todo o santo dia

 

Começou na extrema-esquerda

era uma gaja liberal

fartou-se de ganzas e de copos

fez uma mudança radical

 

Tudo porque comprou uma camisa

que descobriu ser contrafeita

pôs as culpas nos chineses

e foi para a extrema-direita

 

Depressa mudou de ideias

foi para a direita moderada

afinal de contas queria tacho

e liberdade para não fazer nada

 

Cansou-se de democracia

porquê, isso não sei

a verdade é que julgava ter sangue azul

só por gritar alto "viva o rei"

 

Não demorou a perceber

que a monarquia não era solução

passou a ser anárquica

venerava a confusão

 

A desordem não paga dívidas

é um conceito realista

voltou a pedir tacho

desta vez à esquerda centrista

 

Os ideais são comercializáveis

é uma moral bem sinistra

para a política não há que ter talento

pois qualquer incapaz chega a ministra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:21


Dos derbies passados

por Inútil, em 01.03.08

Apesar de ambas as equipas não estarem na sua melhor forma, um Sporting-Benfica é sempre um evento digno se ser visto.

Já perdi a conta aos embates que já vi entre as duas principais equipas da capital. Uns melhores, outros piores. Mas sempre emotivos.

Atendendo ao facto que a minha confiança nas prestações do Glorioso não está nos seus píncaros, não há nada como recorrer ao revivalismo.

Este é o meu top 3 de Derbies jogados nos últimos 5 anos.

 

3º - Sporting 0 - Benfica 1, em 2004

 

Já não havia nada para ganhar. O Porto fez uma época... à Porto e limpou o campeonato. Estava ainda aberta a luta pelo 2º lugar e a entrada na 3ª pré-eliminatória da Liga Dos Campeões .

O Sporting ia à frente, mas depois de alguns deslizes e deste jogo, acabou por ficar em terceiro lugar. O jogo ia bem para o Sporting, empatado a 0 a dois minutos do fim.

Mas de repente, Geovanni lembra-se de fazer isto:

 

Belo golo. Valeu o 2º lugar e pelos cinquenta mil cabeçudos.

 

2º - Benfica 3 - Sporting 3, em 2005

 

Este foi para a Taça. E foi dos melhores jogos de futebol que alguma vez me lembro de ter visto. Luta do primeiro ao último minuto. Prolongamento intenso, com um golaço de Paíto e outro de Simão.

Nos penalties , O Glorioso acabou por levar a melhor e seguiu em frente.

Este embate foi um clássico instantâneo. Fabuloso.

 

1º - Benfica 1 - Sporting 0, 2005

 

O jogo que deu o último campeonato ao Benfica.

Estádio da Luz apinhado, jogo empatado até ao minuto 83 e o título a ficar mais distante.

Até que Ricardo, num acto de infinita generosidade (como é seu apanágio), deixa a bola entrar após um cabeceamento de Luisão .

65 mil pessoas gritaram de euforia e Lisboa estremeceu.

Este não vale pelo jogo em si, mas pelo que daí resultou. O nosso 31º campeonato. E logo contra a malta de Alvalade. Assim vale a pena!

 

Espero que amanhã seja dia de mais uma alegria.

Vamos lá, Glorioso!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:38

Pág. 3/3



Sobre o Inútil

foto do autor


Onde é que anda aquilo?

  Pesquisar no Blog





Comentários recentes

  • Anónimo

    Pelo seu artigo logo se vê que o amigo não conhece...

  • Goretti Nunes

    Olá,Estou neste momento a elaborar a minha dissert...

  • Anónimo

    Pessoal a culpa nao e dele....a culpa e da mae que...

  • Anónimo

    Vai la e experimenta

  • ana maria

    Experimentei o frizante Castiço na cidade de Coimb...