Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Não era bem isso que eu queria dizer

por Inútil, em 19.05.08

Se eu pudesse escolher um upgrade para a minha pessoa , seria certamente instalar um botão de rewind no meu cérebro, que me permitisse emendar algumas das barbaridades que por vezes lá vão saindo.

Isto porque eu tenho um pequeno grande problema. A minha boca tem um funcionamento totalmente independente em relação ao resto da cabeça, o que é uma forma bonita de dizer que de vez em quando falo sem pensar nas consequências das minhas palavras.

Paixões declaradas que se mostraram não correspondidas, insultos embaraçosos que não eram para o ser, banais informações transformadas em comprometedoras revelações.

Tivesse eu nascido com um botão de rewind e muito constrangimento podia ter sido poupado.

Como aconteceu com o arrumador de carros que me viu a comer gomas e me veio pedir uma. Antes de mais nada, uma palavra em minha defesa: o gajo tinha mesmo mau aspecto, era rude e cheirava realmente mal. Posto isso, o meu cérebro formulou um rotundo "não" como resposta. A minha boca antecipou-se e um nada solidário "não, que isso faz-te mal aos dentes e tu não tens dinheiro para um dentista" foi prematuramente proferido.

Não foi propositado. Juro. Até porque sou boa pessoa e aquilo pesou-me na consciência. Mas não por tempo suficiente, já que uns dias depois, enquanto conversava com pessoal do curso sobre maluquinhos e psicopatas acabei por soltar um "tu até podias ser daqueles maluquinhos que vai para o trabalho de uzi metralhar tudo o que mexe, mas não tens emprego" a um colega que, pelos vistos, está desempregado. Percebi isso ao ver que toda a gente se ria menos ele.

Besta sim, mas perspicaz, atenção.

Se o arrependimento matasse, nestas ocasiões só me safava se fosse membro do Clã MacLeod. Ou então deste, acho que também servia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:33


6 comentários

De Cabra Expiatória a 21.05.2008 às 14:54

Mestre, somos irmãos.
Ou, pelos vistos, Brothers in Arms...


É que tenho tendência a fazer exactamente o mesmo. E com intensidades que a escala de Richter não consegue medir... é cá com cada abalo....!

Mas olha, não te preocupes... há de correr tudo bem. Alguém há de inventar o tal botão... E quando tal acontecer, avisa aqui a mana, pode ser?

Clã McLeoud.... oh, Highlander... onde andas tu?


**

Comentar post



Sobre o Inútil

foto do autor


Onde é que anda aquilo?

  Pesquisar no Blog





Comentários recentes

  • Anónimo

    Pelo seu artigo logo se vê que o amigo não conhece...

  • Goretti Nunes

    Olá,Estou neste momento a elaborar a minha dissert...

  • Anónimo

    Pessoal a culpa nao e dele....a culpa e da mae que...

  • Anónimo

    Vai la e experimenta

  • ana maria

    Experimentei o frizante Castiço na cidade de Coimb...