Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Um dia na vida do Inútil

por Inútil, em 26.04.10


8h30: Comboio cheio por causa da greve. 25 minutos debaixo de um sovaco alheio. Alegria e júbilo.

9h30 - 18h30: Trabalho.

19h06: Apanhar comboio para casa.

19h30: Comboio parado porque alguém foi atropelado na estação à frente.

20h: Comboio ainda parado.

 

20h15: A fome aperta. Sair do comboio para ir apanhar um autocarro.

20h18: 3 minutos e 50 metros depois, ver o comboio que esteve 45 minutos parado a arrancar comigo fora dele.

20h20: À espera de autocarro.

20h40: À espera de Godot. E do autocarro.

20h45: Há fome, há sede e há exaustão. Todavia, não há autocarro.

20h50: Barriga ronca como um urso do Alasca, a fome aperta cada vez mais.

20h52: Chega o autocarro.

 

20h53: Sento-me em frente de alguém que vai a comer um croissant.

20h55: O autocarro vai demasiado devagar. Delirios com fome. Homicidio para roubo de salgadinho começa a parecer uma ideia plausivel.

21h11: Vejo uma moeda no chão a caminho de casa. É de 5 cêntimos. Os Deuses parodiam o meu infortúnio.

21h15: Chegada a casa. Esqueci-me das chaves. Desejos de uma morte rápida e fim de sofrimento.

 

21h30: Amanhã é outro dia. Que começa com uma visita ao dentista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:45


Subtil ironia

por Inútil, em 12.04.10

No meio de toda esta episcopal salganhada, com padres debochados e petizes desgraçados (ora aí está um bom nome para um filme porno) a levarem demasiado à letra o velho aforismo do "vinde a mim as criancinhas", há que louvar a capacidade da Agência Ecclesia em conseguir entortar ainda mais algo que já não estava muito direito.

Frequentemente vistos como gente carrancuda e taciturna, estes dignos jornalistas de batina dão provas de elevado sentido de humor e capacidade de fazer pouco da desgraça alheia ao publicarem noticias com cabeçalhos como este:

 

 

Vejamos.

A ideia por trás (sem ironias) da noticia até é boa, apesar de pecar por tardia. Mas lá está, esfíncter papado, trancas à porta. Um guia para ajudar as vitimas, sim senhor, tudo bem. É de louvar. Mas porque não chamar-lhe isso mesmo em vez de um pomposo cabeçalho que soa mais a lançamento de livro de auto-ajuda para abusadores, um faça você mesmo da badalhoquice?

Tudo bem que estamos num novo século, há que abrir as portas a novos fregueses. Mas com um mínimo de critério, senhores...

Se a Al-Qaeda lançasse um guia chamado "guia sobre atendados a prédios grandes" o que é que poderia ser subentendido daqui?

Não sei. Mas uma atitude fofinha para com as vitimas não seria certamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:51


Sobre o Inútil

foto do autor


Para twittar

http://twitter.com/Sem_Utilidade

Onde é que anda aquilo?

  Pesquisar no Blog





Comentários recentes

  • Goretti Nunes

    Olá,Estou neste momento a elaborar a minha dissert...

  • Anónimo

    Pessoal a culpa nao e dele....a culpa e da mae que...

  • Anónimo

    Vai la e experimenta

  • ana maria

    Experimentei o frizante Castiço na cidade de Coimb...

  • Chico

    Claro que o culturismo é óptimo! Eu sou um grande ...