Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A bolacha

por Inútil, em 30.04.07

Uma das grandes infelicidades da minha curta vida foi a retirada do mercado de uma certa marca de bolachas.
Fig Rolls, era o seu nome.
Não me lembro de como começou a nossa relação, até porque nem eram das bolachas mais populares ou conhecidas (pelo menos aqui, porque acho que na Irlanda isto até tem saída).
Eram mesmo catitas, uns rolitos pequenitos com recheio de figo. Parece um produto estranho, eu sei, mas a verdade é que aquela porcaria era boa pra cacete.
Mas infelizmente, descobri-as já tarde, pelo que foi uma relação curta.
Intensa, mas breve.
Ainda hoje acalento a secreta esperança de voltar a vê-las.
Ali, na prateleira das bolachas do supermercado, onde nos vimos pela primeira vez.
E voltar ao nosso bonito relacionamento.
É com saudade que penso naqueles prazenteiros bocaditos de gula, que tantas boas recordações deixaram.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:41


Génesis

por Inútil, em 26.04.07
Adão - Deus, Estás aí?
Deus - Eu estou em todo o lado, meu filho.
Adão - Pois, a cena da omnipresença, esqueço-me sempre disso..
Deus - Que se passa, Adão?
Adão - Diz-me cá, falta muito para o whisky e os bares fazerem parte do Teu desígnio da sagrada criação?
Deus - Bares? Álcool? Isso são artimanhas do mafarrico, Adão! Conta-me lá qual é o problema.
Adão - Estou deprimido, bebia bem um copito, só isso.
Deus - Deprimido? Mas tu foste criado perfeito, à minha imagem! Como pode ser isso?
Adão - Isso do fui criado à Tua imagem... não é bem assim.
Deus - Perdão?
Adão - Esqueces-te sempre de um pequeno detalhe quando anuncias isso, ó Messias. Tu não és casado. Eu tenho a Eva.
Deus - Sim, mas eu criei-vos para existirem felizes, completos, em perfeita comunhão!
Adão - Não dá, ó Salvador. Ela é muito manienta. E chata.
Deus - Chata?
Adão - Sim, Deus, chata. Olha, nos últimos dias, por exemplo, sempre que estamos aconchegadinhos na nossa caverna e eu sinto a necessidade de carinho...
Deus - Carinho?
Adão - Pois, carinho. Fazer Adõezinhos. Tu crias de uma maneira e eu crio doutra.
Deus - Sim, estou a ver. Continua.
Adão - Sempre que sinto a necessidade de carinho, ela vira-se para o lado e diz-lhe que lhe dói a cabeça. É chato. E, ainda por cima, nunca mais inventas a aspirina.
Deus - Farmacêuticos só ao 6º dia.
Adão - Pôrra...
Deus - Valha-me... Eu! Criei-vos para viverem juntos, na imensa alegria da companhia um do outro. Não num imenso mar de solidão.
Adão - Lá vens Tu com a história da solidão. Isso são resquícios de uma infância sem amigos para brincar, não?
Deus - Não tive uma vida fácil, Adão... Sozinho no mundo, sem ninguém com quem partilhar milagres, levar a jantar fora, dar miminhos à noite... (sniff).
Adão - Desculpa, Senhor. Vim maçar-te com as minhas pieguices e inseguranças e ficámos ambos deprimidos. Lamento.
Deus - Deixa lá isso. Sabes que mais, Adão? Já bebia um copo...
Adão - Ou dois! Bom... talvez seja melhor criares a "Happy Hour".
Deus - Bem visto, Adão, bem visto! Faça-se luz!
Adão - És realmente o Salvador...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:01


Sempre

por Inútil, em 25.04.07

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:11


Efeméride

por Inútil, em 24.04.07

Hoje, dia 24 de Abril, é Dia Internacional do Milho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:42


Caos

por Inútil, em 24.04.07
Se há uma palavra que possa descrever na perfeição o que é ter obras em casa, é essa.
A minha cozinha andava a pedir obras de remodelação há já uns tempinhos, pelo que decidi deixar de adiar o inevitável.
O empreiteiro que contratei para fazer a dita obra veio cá a casa, fez o orçamento, planificação e aquelas coisas todas que só os empreiteiros sabem fazer e disse-me que iriam ser necessárias 26 caixas de azulejos.
Até aqui tudo bem.
A chatice foi que a operação "Aquisição e transporte do azulejo" teve de ser levada a cabo pela minha pessoa.
No meio da minha ignorância relativa ao universo das obras domésticas, tinha ideia que uma caixa de azulejos era uma coisita não muito pesada. Aí uns 2 ou 3 kgs no máximo, vá lá.
Obviamente, estava enganado.
Deixem-me dizer-vos que o meu Corsa com 26 caixas daquelas lá dentro parecia levar dentro da bagageira o Jô Soares mais a Valentina Torres.
E que divertido foi chegar a casa e ver que o lugar mais perto que havia para estacionar estava a uns bons 50 metros da minha porta! Foram 13 viagens de ida e volta com a porcaria dos azulejos às costas entre carro-casa e casa-carro e outras 13 entre R/C-1º andar e 1ºandar-R/C.
Não foi uma tarde de sábado bem passada.
Nem tão pouco foi a de domingo, dispendida a esvaziar os armários e a encher a casa com mercearias, trens de cozinha, canecas, pratos e tupperwares.
Nestes dias, a minha casa assemelha-se bastante a um acampamento cigano. Só tenho que abrir a porta para me deparar com uma panóplia interminável de tachos e panelas, cobertos com lençóis por causa do pó.
E o pó, senhores, o pó! É irreal a distância que ele consegue percorrer! Os homens mandam paredes abaixo na cozinha e a minha sala fica quase imediatamente a parecer uma descoberta arqueológica, tipo túmulo do Tutankamon, tal não é a quantidade de pó que rapidamente lá se acumula.
Já nem vou falar da sinfonia de berbequins e rebarbadoras que começa todos os dias às 8h30, de só ter gás quando a água está cortada ou de só ter água quando o gás está fechado.
Nunca mais na minha vida irei remodelar o que quer que seja que requeira obras no aconchego do lar.
São dias de caos total!



P.S: E ainda nem quero pensar na alegria que vai ser varrer, limpar e esfregar depois disto terminado! Rejubilo só de pensar nisso...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:50


On the rocks

por Inútil, em 19.04.07

Navios caçadores de focas presos no gelo


Por mim, bem que os podiam lá deixar.
E dar-lhes umas cajadadas valentes na cabeça também, para ver se continuavam a achar tanta piada a isso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:05


Indie Lisboa

por Inútil, em 19.04.07
Começa hoje a 4ª edição do festival de cinema independente Indie Lisboa.
Ainda me lembro da 1ª. Decorreu só no São Jorge, ainda antes das obras de restauro. Ar condicionado era mentira e por isso as sessões às 15h eram insuportáveis. Também me lembro de ir ver um filme chamado "La Niña Santa", que teve de ser parado a meio porque para além da legenda estar alguns 3 minutos adiantada em relação ao filme, houve outro qualquer problema com a projecção do filme. E como a sala estava cheia, o calor ainda era mais.
Mas não é por problemas destes que se pode deixar de louvar esta excelente iniciativa , que dá a conhecer ao público alfacinha o que de melhor se faz no circuito cinematográfico independente.
Se gostam de cinema e de filmes que raramente entram no circuito comercial, não encontram melhor oportunidade que esta para tirarem a barriga de misérias.
Os bilhetes não são assim tão caros como isso e a organização ainda fornece gratuitamente transporte público entre os cinemas que entram na iniciativa (São Jorge, Londres, King e Fórum Lisboa).
Difícil mesmo é escolher que filmes ir ver, pois a oferta é farta não só em qualidade mas igualmente em quantidade.
Para além de ir ver mais logo o "A Scanner Darkly", também me interessam estes:
"Analog Days", "Day Night Day Night", "Fresh Air", "Angel", "Big Bang Love", "Exiled", "Shortbus" e "The Pervert's Guide To Cinema".
Vemo-nos por lá!

Mais informações aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:26


Bang Bang

por Inútil, em 18.04.07

Contra “os miúdos ricos e mimados”, “a devassidão” e “os charlatões enganadores”.
Foram esses os motivos para o massacre na Universidade Virginia Tech, segundo uma mensagem previamente gravada por Cho Seung-Hui, o autor dos disparos que vitimaram 32 pessoas.
É em momentos destes que os membros da Juventude Popular deviam dar graças a Deus por não haver nenhum sul-coreano psicopata em Portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:54


Era bom, era...

por Inútil, em 18.04.07

Sim, por favor!!!
Qualquer um menos o troglodita que lá está agora!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:19


Ainda sobre as sanitas nipónicas

por Inútil, em 18.04.07
Em mais uma preciosa colaboração, Aive enviou-me algumas fotos, tiradas numa viagem ao Japão, que se inserem na temática.


Esta sanita enquadra-se claramente na categoria "Das que queimam a nalga". Com mais botões que uma nave espacial, faz do momento all-braan de qualquer pessoa um simpático desafio.

Já esta é de um aviso de uma casa de banho que é totalmente automatizada. Infelizmente, o criador do anúncio tirou o curso de inglês na mesma escola que o dono deste hotel, por isso o cliente que queira usufruir do dito wc fica em vez disso avisado que a casa de banho se enche automaticamente.


Finalmente, esta pertence ao wc do famoso comboio-bala, um dos mais tecnologicamente avançados em todo o mundo. Para quem não sabe o que é "Japanese Style", Sooty and Aive explica-nos que "são à caçador mas com louça no chão". Da próxima vez que usarem os sanitários típicos dos parques de campismo com menos estrelas (aqueles tão pitorescos e minimalistas que consistem no simples buraquito no chão), alegrem-se: estão a fazê-lo à "Japanese Style"!



Domo Arigato, Aive!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:38

Pág. 1/3



Sobre o Inútil

foto do autor


Para twittar

http://twitter.com/Sem_Utilidade

Onde é que anda aquilo?

  Pesquisar no Blog





Comentários recentes

  • Goretti Nunes

    Olá,Estou neste momento a elaborar a minha dissert...

  • Anónimo

    Pessoal a culpa nao e dele....a culpa e da mae que...

  • Anónimo

    Vai la e experimenta

  • ana maria

    Experimentei o frizante Castiço na cidade de Coimb...

  • Chico

    Claro que o culturismo é óptimo! Eu sou um grande ...